quarta-feira, 29 de maio de 2013

Legionário



Assim spero.
Não sei como.
Será; não
sei paronde.
Vou. E sigo.
Na primeira
ordem, luto,
confirmando,
ao primeiro
modo, como
a Fortuna
sempre e tanto
me governa,
sem queu saiba.
Não sei como.
Tudo a mim
falta, tudo
ofereço.
Eu não venço,
sempre luto.
Eu que nada
deixo, que
nada tenho,
neste mundo
que não venço.
Que não tenho.
Tudo a mim
falta, tudo
ofereço.
Sempre luto.
Assim spero.
Assim spero
a Fortuna
ao primeiro
modo, como
sempre e tanto
me governa,
que me mate
confirmando
que por fim,
sempre e tanto,
sempre luto.

Thiago Zanotti
Poeta

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns!! muito bonita, espero ler mais do seu trabalho aqui no blog.

    ResponderExcluir
  3. Ai, que lindo!
    Se soubesse ANTES que era assim...

    ResponderExcluir