segunda-feira, 28 de maio de 2012

Anoitecer



No firmamento,
O resto da tarde, lentamente, se vai
Por trás da linha do horizonte,
Fazendo uma junção
Do laranja com o vermelho,
Enquanto as estrelas vão tomando o seu lugar,
E, aos poucos, destacando-se, ganhando glória...

Os ventos começam a soprar, com mais umidade,
O nosso rosto e os leques dos carnaubais do sertão
Até que o véu negro da noite nos cobre
E a luz do luar banha de prata os telhados
Quando, com prontidão, dizemos: boa noite!

Sousa Neto
Poeta

2 comentários:

  1. Adoro o entardecer, acho, dos espetáculos, o mais bonito. Lindo poema.

    ResponderExcluir