sábado, 6 de outubro de 2012

Cinzas


"Não mandarei
Cinzas de rosas
Nem penso em contar
Os nossos segredos"
(À sua maneira, Capital Inicial)


Enterro agora – Sem choro e sem flores,
Os versos que te escrevi tão solenemente.
As lembranças mais profanas;
Os beijos sugados entre uivos;
A vontade em tê-lo Norte...

Enterro sem luto;
            Sem remorso,
O diabo de paixão que a ti devotei -
                           Arbitrariamente.


Rayane Medeiros
Poetisa

2 comentários:

  1. Fiquei com preconceito pela epígrafe, mas continuei com a leitura. Ainda bem.

    ResponderExcluir