domingo, 29 de julho de 2012

Os versos que te guardei

Os versos que te guardei
     Não carregam bandeiras,
     Não exaltam cânticos,
     Não estão nos muros;
Estão na mente, no corpo, no beijo...

Os versos que te guardei
     Não estão nos livros,
     Não estão nos templos,
     Não voam ao vento;
Estão na pele, nos olhos, no cabelo...

Os versos que te guardei
     Não confidenciam segredos,
     Não afastam seus medos,
     Não conjugam seu verbo;
Estão na boca, mordida, pescoço...

Os versos que te guardei
     São vida, mesmo em morte;
     São morte, mesmo em vida.

Os versos que te guardei
Serão sempre os versos em que te perdi.
Luiz Luz
Poeta

8 comentários:

  1. "Serão sempre os versos que te perdi" Lindo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Dulce!

      Fico feliz por ter gostado.

      Abraço!

      Excluir
  2. Um belíssimo trabalho, Luiz, sem dúvida..
    Parabéns.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Pedro!

      Seu comentário é uma motivação a mais.

      Abraço!

      Excluir
  3. Luiz, um ótimo poema...
    "Os versos que te guardei
    Não confidenciam segredos,
    Não afastam seus medos,
    Não conjugam seu verbo".

    Um belo trabalho...

    ResponderExcluir
  4. Lindo demaiiis!! é um dos seus poemas mais lindos !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, poetisa!

      Sua opinião conta bastante.

      Um xero!

      Excluir