segunda-feira, 30 de julho de 2012

Falácia


É inevitável,
O homo sapiens se encolhe
Quando o mal
Toma o seu ser de medo.
Encurta-se
O caminho de toda espécie.
A união inexiste!

A doença maléfica,
Que tanta opressão proporcionou,
É o refúgio.
Dispensa migalhas numa viela.
Desvia o foco
Da verdade perseguida,
Tanto almejada.

O homem
Regressa
Aos grilhões da caverna.

Alexander Moura
Poeta

Um comentário:

  1. É por demais tempo de lá sair... E encarar a luz do sol.
    Bom poema,
    Abraço.

    ResponderExcluir